História do agrupamento

O Agrupamento de Escolas de Sebastião da Gama, com sede na Escola Secundária do mesmo nome integra, além da escola-sede, as Escolas que constituíam o Agrupamento de Escolas de Aranguez, que sucedeu ao Agrupamento Vertical de Escolas Cetóbriga, homologado em 8 de Agosto de 2003. 

Este Agrupamento integrou inicialmente os estabelecimentos de educação e ensino que faziam parte do Agrupamento Horizontal Arcádia (EB1/JI da Azeda e EB1/JI de São Gabriel) e dois outros estabelecimentos (EB1 n.º 1 de Setúbal e EB1 n.º 8 de Setúbal). 

Escola Básica de Aranguez, antiga sede do Agrupamento Vertical de Escolas Cetóbriga
Posteriormente, com o novo ordenamento da rede educativa, a EB1/JI de S. Gabriel passou a integrar o Agrupamento Vertical de Escolas Barbosa du Bocage, tendo o Agrupamento Cetóbriga recebido outra escola, a EB1 de Praias do Sado, que até essa altura havia integrado o Agrupamento Vertical de Escolas Ordem de Santiago. 

No ano letivo 2006/2007, devido ao desmembramento do Agrupamento Horizontal D. António da Costa, a EB1/JI Montalvão passou a integrar este Agrupamento. A atual Escola Secundária Sebastião da Gama é a sucessora direta da Escola de Desenho Industrial Princesa D. Amélia, criada por decreto de Emídio Navarro e inaugurada a 1 de Outubro de 1888. 

Esta Escola é herdeira de décadas de formação de gerações de alunos que, se têm integrado no mercado de trabalho com relativa facilidade. A sua designação constitui, desde 1987, uma homenagem ao seu antigo professor, ilustre poeta e pedagogo Sebastião da Gama.

Escola Secundária Sebastião da Gama, sede do agrupamento

Esta instituição de ensino dá atualmente resposta às necessidades de educação e formação locais, oferecendo, para além do ensino regular e diurno e, cursos/formações diversificadas, em horário diurno e pós-laboral, adaptando-se aos novos currículos e modalidades de formação que foram surgindo ao longo das últimas décadas, tanto no ensino Básico como no Secundário.

Com as suas instalações renovadas, perspetiva o futuro do seu Ensino Noturno, visando manter, por um lado, algumas áreas de formação tradicionais e por outro diversificar as ofertas de formação, correspondendo às necessidades atuais do mercado de trabalho e servindo os cidadãos da comunidade envolvente.

“Conviver, eis a palavra chave, palavra programa e projeto vital e educativo do homem Sebastião da Gama, professor e poeta. Ele está convencido que todo o viver é conviver, é apoiar suportar-se, tolerar-se, alimentar-se, fecundar-se e potenciar-se reciprocamente. Há uma convivência intrínseca à vida individual: a convivência que implica em sociedade, viver atido às outras vidas.”

In Jesús Herrero, Pedagogia de Sebastião da Gama, o Diário à luz da Psicopedagogia,
Editorial O livro, 2.ªEdição, pág. 37